Vulva

Dra Claudiani Branco Ginecologista e Obstetra explica a vulva e sua estrutura.

A vulva corresponde ao conjunto de órgãos genitais femininos externos e visíveis. Faz parte do sistema reprodutor e possui as seguintes estruturas:

  • Púbis ou monte de Vênus;
  • Grandes lábios ou lábios maiores;
  • Pequenos lábios ou lábios menores;
  • Vestíbulo vulvar;
  • Clitóris;
  • Óstio da uretra ou meato uretral;
  • Introito vaginal;
  • Períneo.
A vulva e sua estrutura.

PÚBIS OU MONTE DE VÊNUS

O púbis é uma proeminência constituída por tecido adiposo e recoberta de pelos que começam a surgir na adolescência. Serve como proteção do osso púbico.

GRANDES LÁBIOS

Os grandes lábios são dobras formadas por tecido adiposo e conjuntivo, cobertas por pele e pelos. Estendem-se do púbis até o períneo e ajudam a proteger a abertura da vaginae da uretra contra agentes infecciosos, como fungos e bactérias. Em sua parte interna, há glândulas sebáceas e sudoríparas.

PEQUENOS LÁBIOS

 São duas pregas finas constituídas de mucosa que se localizam no interior dos grandes lábios. São bastante enervadas e vascularizadas, por isso são áreas bastante sensíveis que aumentam de volume quando a mulher está sexualmente excitada. Delimitam a região do vestíbulo, onde se situam as aberturas da vagina e da uretra. Têm grande quantidade de glândulas sudoríparas e sebáceas, mas não possuem pelos.

Na parte superior, formam o prepúcio do clitóris; na inferior, sob o intróito vaginal (extremidade inferior da vagina), formam a fúrcula ou comissura posterior.

VESTÍBULO VULVAR

É o espaço circundado pelos pequenos lábios. A parte superior do vestíbulo é formada pelo clitóris e a base, pela fúrcula. Em seu interior se localizam o meato uretral, o introito vaginal e as glândulas de Bartholin, que produzem a lubrificação vaginal.

CLITÓRIS

Constituído de tecido erétil, o clitóris se localiza na parte superior da vulva, próximo à uretra e perto da junção dos pequenos lábios. As partes visíveis do clitóris são relativamente pequenas, semelhantes a um grão de feijão, e correspondem ao prepúcio e à glande, área extremamente sensível. No entanto, o restante do órgão se estende no interior do corpo.  Possui inúmeras terminações nervosas e, por isso, tem função importante no prazer sexual feminino.

MEATO URETRAL

É o orifício por onde sai a urina. Localiza-se entre a entrada da vagina e o clitóris e não faz parte dos órgãos genitais femininos, sendo descrito apenas por sua localização anatômica.

INTROITO VAGINAL

Localiza-se na parte inferior do vestíbulo e é parcialmente coberto pelo hímen, tecido membranoso que em geral se rompe quando a mulher tem a primeira relação sexual.

PERÍNEO

Inicia-se na parte inferior da vulva e estende-se até o ânus.

Tem mais dúvidas ginecológicas sobre seu corpo? Entre em contato comigo através dos canais abaixo:

Rejuvenescimento íntimo ou funcional

A saúde íntima da mulher moderna.

Com a idade ocorre a diminuição da produção do estrogênio, hormônio responsável por todas as características femininas. Tal evento leva a atrofia urogenital. Esta condição envolve um adelgaçamento gradual dos tecidos epiteliais genitais, da mucosa da vagina e vulva, o que reduz sua espessura e a torna mais frágil, irritável e exposta a trauma.

A perda de glicogênio celular (que contribui ao equilíbrio da flora vaginal) e fluxo sanguíneo epitelial reduzido são fatores que levam a alterações tissulares morfológicas que se somam às alterações fisiológica e funcional.

  • Dor ou desconforto na relação sexual.
  • Secura vaginal ou falta de lubrificação.
  • Infeção urinária frequente.
  • Leucorréia ou secreção vaginal anormal.
  • Incontinência urinária aos esforços.
  • Urgência miccional.
  • Flacidez vaginal – que pode surgir em mulheres no pós-parto ou após cirurgia bariátrica.
  • Alterações da coloração – como cicatriz de episiotomia de parto normal.
  • Líquen escleroso.

Consequências e Tratamentos

Estes sintomas impactam de forma social, sexual e emocional na vida da mulher. Quando não houver contraindicação, o uso de medicação hormonal local e hidratantes vaginais são bastante utilizados. Alguns outros métodos de estimulação local estão disponíveis, como o laser.

Benefícios

Laser Íntimo é uma terapia inovadora e não invasiva, que propicia o Rejuvenescimento Vaginal, recuperando sua elasticidade, espessura e umidade. A aplicação do laser pode ser realizado em consultório médico sem cortes, sangramentos ou dor.

O tratamento é relativamente simples e se resume no disparo de feixes de luz com auxílio do laser que causam efeitos térmicos no tecido vaginal. Nesse momento, a paciente sente um leve calor no local da aplicação, mas o procedimento é totalmente indolor.

Diante desse estímulo, são obtidos benefícios como a remodelação e aumento da circulação sanguínea da mucosa que contribui para a produção de novas fibras colágenas devolvendo o tônus e a força muscular, bem como aumento da espessura e a recuperação da lubrificação natural.

Agora teremos o Laser Day no consultório. Quer saber mais sobre esta novidade? Entre em contato comigo:

Higiene Íntima na Medida Certa

A falta ou o excesso de higiene íntima podem ser prejudiciais à saúde da vagina, desequilibrando o grau de acidez (PH) que controla a ação de bactérias, e consequentemente, resultando em inúmeras doenças.

A parte externa da vagina, que compreende a vulva, é uma região que acumula suor, gordura, umidade, células mortas e urina, muito propensas ao mal cheiro e complicações como fungos e bactérias, que causam coceiras e corrimentos. Veja algumas dicas:

1) Evitar duchas vaginais: As duchas vaginais devem ser evitadas, porque podem alterar o pH e a flora vaginal, podendo tornar a vagina mais suscetível a infecções.

2) Não usar lenços umedecidos ou papel higiênico perfumado: Os lenços umedecidos e o papel higiênico perfumado devem apenas ser usados em casos de extrema necessidade, quando se está fora de casa, por exemplo, e poucas vezes por dia, pois quando usados em excesso podem provocar secura na vagina e irritações, eliminando a lubrificação natural da região genital, além de também poder interferir no pH.

3) Não exagerar na depilação: A depilação total favorece o crescimento de micro-organismos e causa maior corrimento vaginal, facilitando o aparecimento de doenças. Além disso, a depilação com gilete e produtos para depilação destroem a camada protetora da pele e contribuem para reduzir a sua lubrificação natural. Não é aconselhável o uso destes produtos mais de 3 vezes na semana.

O que fazer?

A limpeza ideal dever ser feita com um sabonete hipoalergênico nas áreas que compreendem o monte púbico, a pele da vulva, raiz das coxas, região perianal (entre a vulva e o ânus) e ao interior dos grandes e dos pequenos lábios. Com uma pequena quantidade de sabonete nas pontas dos dedos, suaves movimentos circulares devem contemplar todas as dobras, seguida de enxague abundante com água corrente para a retirada dos resíduos. Uma toalha seca e limpa, finaliza a higienização.

Logo após contato íntimo deve-se tentar urinar para evitar o surgimento de infecções urinárias, pois a uretra fica muito próxima a vagina. Em seguida lavar com sabonete e água abundante.