Displasia mamária: o que é, sintomas e tratamento

Ginecologista Dra Claudiani Branco fala sobre a Displasia Mamária no Outubro Rosa, mês de combate ao Câncer de Mama.

A displasia mamária, também chamada de alteração funcional benigna da mama ou alteração fibrocística benigna da mama, caracteriza-se por alterações nas mamas como dor, edema, espessamento e nódulos que, geralmente, aumentam no período pré-menstrual devido à variação dos hormônios femininos.

Na maioria dos casos a displasia mamária não necessita de tratamento, já que os sintomas melhoram após a menstruação. No entanto, caso os sintomas sejam muito desconfortáveis, o médico pode indicar o uso de analgésicos ou anti-inflamatórios, além de suplementação de vitamina E em alguns casos.

Principais sintomas

Os sintomas de displasia mamária são mais comuns de serem notados no período pré-menstrual, isso porque há maior alteração nos níveis hormonais que podem acabar por ter ação sobre as mamas, resultando no acúmulo de fluido nos tecidos mamários e levando ao aparecimento dos sinais e sintomas, sendo os principais:

  • Dor nas mamas;
  • Edema das mamas;
  • Endurecimento das mamas;
  • Sensibilidade nas mamas;
  • Desenvolvimento de nódulos mamários.

A displasia mamária geralmente ocorre após a adolescência, sendo mais frequente em mulheres que não têm filhos. Durante a amamentação, a displasia mamária melhora e pode voltar a ocorrer na menopausa, principalmente se a mulher não estiver realizando reposição hormonal.

Displasia mamária pode virar câncer?

A displasia mamária não leva ao câncer, isso porque é caracterizada por alterações causadas pelo acúmulo de líquidos no tecido mamário que resultam em sinais e sintomas inflamatórios, não sendo observada alterações nas células, o que poderia aumentar o risco de câncer.

No entanto, na presença de nódulos mamários identificados durante o auto-exame é importante consultar o ginecologista ou mastologista para que seja feita uma avaliação mais detalhada e possam ser identificadas as características desse nódulo e, assim, concluir se é benigno ou não.

Tratamento para displasia mamária

A displasia mamária não é uma doença e, por isso, não existe tratamento. No entanto, os sintomas podem ser bastante desconfortáveis e, por isso, o ginecologista pode indicar o uso de medicamentos hormonais e remédios analgésicos e anti-inflamatórios.

Além disso, o médico também pode prescrever um suplemento de vitamina E para complementar o tratamento, pois esta vitamina ajuda na produção e equilíbrio dos hormônios femininos. Em alternativa, a mulher também pode aumentar o consumo de alimentos ricos em vitamina E como óleo de gérmen de trigo, sementes de girassol ou avelã, por exemplo. 

Para aliviar a dor e os sintomas, é importante também que a mulher evite alimentos com sal e com cafeína, como café, chocolates, chá e Coca-Cola, aumente a ingestão de líquidos e use sutiãs largos e que sustentam melhor as mamas.

Não deixe de esclarecer mais dúvidas sobre a displasia conversando comigo nos canais abaixo: